Banner 728x90

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Dez brasileiros vão disputar classificação para as oitavas de final na Austrália.

Crédito: Caitlin Miers / World Surf League via Getty Images

 Próxima chamada as 17h45 da quarta-feira no Brasil

Com o dia de ontem sem ondas o Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona ficou mais um dia sem competição na Austrália. O prazo da segunda etapa do World Surf League Championship Tour 2021 vai até domingo e as previsões são otimistas para encerrar o evento em boas condições neste restante de semana. As próximas baterias têm nomes de peso, o bicampeão mundial Gabriel Medina abrindo a terceira fase e a heptacampeã Stephanie Gilmore na primeira quarta de final feminina. Uma nova chamada foi marcada para as 6h45 da quinta-feira na Austrália, 17h45 da quarta-feira no fuso horário de Brasília.

Se o próximo dia começar pela categoria masculina, Gabriel Medina vai disputar a primeira vaga para as oitavas de final com o australiano Connor O´Leary. Os dois já se enfrentaram cinco vezes em etapas do CT e o brasileiro ganhou todas. Medina defende a segunda posição no ranking 2021, pois começou a temporada perdendo a final do Billlabong Pipe Masters em dezembro, para o também bicampeão mundial John John Florence. Ambos nunca tinham competido em Newcastle, mas triunfaram na primeira fase.

Gabriel Medina estreando em Newcastle (Crédito: Caitlin Miers / World Surf League via Getty Images)
O próximo brasileiro a disputar a terceira fase do Rip Curl Newcastle Cup é o outro campeão mundial, Adriano de Souza, que já anunciou ser esta a última temporada da sua carreira, quando completa 15 anos na divisão de elite da World Surf League. Mineirinho competiu na terça-feira e aproveitou a segunda chance de classificação para a terceira fase. Ele está na terceira bateria com o francês Jeremy Flores. Os dois já disputaram 14 baterias em etapas do CT e Adriano tem uma larga vantagem de 11 a 3 no placar entre eles.

Depois, tem dois confrontos seguidos entre Brasil e Austrália, com Miguel Pupo enfrentando Owen Wright na oitava bateria e o atual campeão mundial, Italo Ferreira, entrando na nona com o convidado desta etapa, o surfista local de Newcastle, Jackson Baker. Os dois já se encontraram na primeira fase e o potiguar deu um show para vencer a bateria. Italo defende a terceira posição no ranking 2021, parando na semifinal do Billabong Pipe Masters contra Gabriel Medina, que reeditou a decisão do título mundial de 2019 no Havaí.

Os outros seis brasileiros vão disputar as cinco últimas vagas para as oitavas de final, então vários duelos verde-amarelos poderão acontecer nas ondas de Merewether Beach. O primeiro deles será agora na 12.a bateria desta terceira fase, entre os paulistas Caio Ibelli e Deivid Silva. Na 13.a, tem Alex Ribeiro, campeão do QS 6000 de Newcastle em 2019, contra o sul-africano Jordy Smith. Na 14.a, Peterson Crisanto enfrenta o californiano Conner Coffin.
Yago Dora usando os aéreos na primeira fase (Crédito: Matt Dunbar / World Surf League via Getty Images)
Na penúltima, tem outro campeão em Newcastle em 2017, Yago Dora, com o australiano Jack Freestone. E Filipe Toledo fecha a terceira fase com o italiano Leonardo Fioravanti, que registrou novos recordes – nota 9,00 e 15,67 pontos – para o Rip Curl Newcastle Cup, na bateria da repescagem disputada na terça-feira que provocou a primeira baixa do Brasil na “perna australiana”, Jadson André. A segunda foi Tatiana Weston-Webb, barrada pela australiana Isabella Nichols nas oitavas de final femininas que fecharam a terça-feira.

TRANSMISSÃO AO VIVO – O Rip Curl Newcastle Cup apresentado pela Corona está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com, pelo aplicativo da World Surf League e pelos canais ESPN Brasil. A primeira chamada para a terceira fase masculina e para as quartas de final femininas será as 6h45 da quinta-feira na Austrália, 17h45 da quarta-feira no Brasil. 

PERNA AUSTRALIANA – As quatro etapas da nova “perna australiana” são apresentadas pela Corona. O Rip Curl Newcastle Cup tem prazo até 11 de abril para ser encerrado nas ondas de Merewether Beach. A segunda é o Rip Curl Narrabeen Classic de 16 a 26 de abril em Narrabeen Beach, em Sydney, também em New South Wales. As outras serão na região de West Australia, o Boost Mobile Margaret River Pro de 02 a 12 de maio em Margaret River e o Rip Curl Rottnest Search de 16 a 26 de maio em Rottnest Island. 

PRÓXIMAS BATERIAS DO RIP CURL NEWCASTLE CUP: 

TERCEIRA FASE – Vitória=Oitavas de Final / 17.o lugar com 1.330 pontos:
1.a: Gabriel Medina (BRA) x Connor O´Leary (AUS)
2.a: Frederico Morais (PRT) x Adrian Buchan (AUS)
3.a: Jeremy Flores (FRA) x Adriano de Souza (BRA)
4.a: Julian Wilson (AUS) x Jack Robinson (AUS)
5.a: John John Florence (HAV) x Morgan Cibilic (AUS)
6.a: Seth Moniz (HAV) x Wade Carmichael (AUS)
7.a: Ryan Callinan (AUS) x Crosby Colapinto (EUA)
8.a: Owen Wright (AUS) x Miguel Pupo (BRA)
9.a: Italo Ferreira (BRA) x Jackson Baker (AUS)
10.a: Michel Bourez (TAH) x Griffin Colapinto (EUA)
11.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Ethan Ewing (AUS)
12.a: Caio Ibelli (BRA) x Deivid Silva (BRA)
13.a: Jordy Smith (AFR) x Alex Ribeiro (BRA)
14.a: Peterson Crisanto (BRA) x Conner Coffin (EUA)
15.a: Jack Freestone (AUS) x Yago Dora (BRA)
16.a: Filipe Toledo (BRA) x Leonardo Fioravanti (ITA)

QUARTAS DE FINAL – Derrota=5.o lugar com 4.745 pontos:
1.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Isabella Nichols (AUS) 
2.a: Courtney Conlogue (EUA) x Keely Andrew (AUS)
3.a: Carissa Moore (HAV) x Johanne Defay (FRA)
4.a: Caroline Marks (EUA) x Bronte Macaulay (AUS)
João Carvalho
WSL Latin America Media Manager

Felipe Marcondes
WSL Latin America Senior Manager, Content & Marketing

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: Estabelecida em 1976, a World Surf League (WSL) é a casa do melhor surf do mundo. Uma empresa global de esportes, mídia e entretenimento, a WSL supervisiona circuitos e competições internacionais, tem uma divisão de estúdios de mídia que cria mais de 500 horas de conteúdo ao vivo e sob demanda, por meio da afiliada WaveCo, empresa que criou a melhor onda artificial de alto desempenho do mundo. 

Com sede em Santa Monica, Califórnia, a WSL possui escritórios regionais na América do Norte, América Latina, Ásia-Pacífico e EMEA. A WSL coroa anualmente os campeões mundiais de surf profissional masculino e feminino. A divisão global de Circuitos supervisiona e opera mais de 180 competições globais a cada ano do Championship Tour e dos níveis de desenvolvimento, como o Challenger Series, Qualifying Series e Junior Series, bem como os circuitos de Longboard e Big Wave.

Lançado em 2019, o WSL Studios é um produtor independente de projetos de televisão sem roteiros, incluindo documentários e séries, que fornecem acesso sem precedentes a atletas, eventos e locais globalmente. Os eventos e o conteúdo da WSL, são distribuídos na televisão linear para mais de 743 milhões de lares no mundo inteiro e em plataformas de mídia digital e social, incluindo o WorldSurfLeague.com. A afiliada WaveCo inclui as instalações do Surf Ranch Lemoore e a utilização e licenciamento do Kelly Slater Wave System.

A WSL é dedicada a mudar o mundo por meio do poder inspirador do surfe, criando eventos, experiências e histórias autênticas, afim de motivar a sempre crescente comunidade global para viver com propósito, originalidade e entusiasmo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

Fonte: WSL
Comunicação A.S.S.