Banner 728x90

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

João Chianca bate recorde de pontos na categoria masculina


PRAIA DE ITAÚNA, Saquarema / RJ (Sábado, 5 de novembro de 2022) - Oito surfistas do Brasil e 1 do Peru passaram para as oitavas de final do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil, no sábado ensolarado e de praia cheia em Itaúna. Foi mais um dia de baterias decisivas na briga pelas vagas do Challenger Series para o World Surf League (WSL) Championship Tour de 2023. Mas, de show de surfe de quem já está garantido na elite, como o tricampeão mundial Gabriel Medina e Miguel Pupo, que farão um duelo de CT no domingo. A previsão é iniciar as oitavas de final às 7h30 na Praia de Itaúna, com transmissão ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelos canais SporTV.

Na categoria masculina, o primeiro a disputar classificação para as quartas de final será o jovem pernambucano Douglas Silva. O saquaremense João Chianca está na segunda bateria e a quarta será entre dois titulares da “seleção brasileira” do CT 2023, Gabriel Medina e Miguel Pupo. Na chave de baixo, tem o carioca Lucas Silveira na quinta bateria, o peruano Lucca Mesinas na sétima e outra surpresa do Brasil na última, o cearense Cauã Costa. Nas oitavas de final femininas, tem Laura Raupp na segunda bateria e Summer Macedo na quinta.

O saquaremense João Chianca foi um dos destaques do sábado na Praia de Itaúna. Ele achou boas direitas para mostrar o seu frontside agressivo e estabelecer um novo recorde de pontos na competição masculina do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. Na melhor onda, acertou duas pancadas muito fortes, abrindo grandes leques de água, para ganhar nota 7,93 dos juízes. Com ela, totalizou 15,60 pontos, superando os 15,44 do norte-americano Jett Schilling na sexta-feira, quando tirou a vitória de Gabriel Medina.

João Chianca competindo em casa na Praia de Itaúna (Crédito da Foto: WSL / Thiago Diz)

“Felizmente, um dia de ondas que já vi muitas vezes aqui em Saquarema e que já treinei muito também. Estou feliz por ter escolhido o equipamento certo, ter mantido a calma para fazer as manobras certas e vamos pro próximo rounde”, disse João Chianca“Agora tava com a maré cheia, que é sempre mais difícil, porque tem o backwash e diversos fatores que podem te custar a bateria. Mas, eu tava bem ligado e agradeço por Saquarema ter me ensinado tanto. Estou feliz por estar em casa”.

Com a classificação para as oitavas de final, João Chianca chegou a assumir a 11.a posição no ranking que classifica os 10 primeiros para o CT 2023. No fim do dia, ele acabou caindo para o 12.o lugar, porque o marroquino Ramzi Boukhiam também avançou e passou a dividir a 10.a e última posição no G-10 com o cearense Michael Rodrigues. Ramzi conseguiu a maior nota do dia - 8,33 - na vitória sobre os brasileiros Lucas Silveira e Edgard Groggia na sexta bateria.

Na chave de cima, que vai apontar o primeiro finalista do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil, os brasileiros venceram as duas primeiras batalhas por vagas nas oitavas de final. A primeira foi a do jovem pernambucano Douglas Silva, que na sexta-feira já tinha eliminado dois surfistas que estão na briga direta para entrar no CT, o número 5 do ranking, Ezekiel Lau (HAV), e o 12.o colocado, Eithan Osborne (EUA). No sábado, derrotou dois franceses na primeira bateria masculina do dia, Timothe Bisso e Justin Becret.

Douglas Silva fazendo bonito em sua primeira participação no Challenger Series (Crédito da Foto: WSL Daniel Smorigo)

“Eu estou sem nenhuma pressão e só acreditando no meu talento, para poder ir o mais longe possível”, disse Douglas Silva, que está participando do Challenger Series pela primeira vez. “Essa vaga caiu do céu, porque muitos atletas cancelaram a inscrição. Eu tinha feito a minha, caso sobrasse vaga, aí uma semana antes de começar o campeonato, recebi a confirmação. Para mim, é um sonho estar aqui com todos esses atletas. Estou sem pressão nenhuma, só acreditando no que sei fazer e está dando tudo certo, então espero seguir assim”.

DUELO DE CT - Depois da vitória de Douglas SilvaJoão Chianca ganhou o confronto seguinte e Miguel Pupo passou em segundo lugar na terceira bateria, vencida pelo australiano Joel Vaughan. Já Gabriel Medina, confirmou o favoritismo contra o francês Maxime Huscenot e o americano Kei Kobayashi. O tricampeão mundial assumiu a ponta com a nota 6,43 das três manobras que fez numa direita e confirmou a vitória com um aéreo full rotation também de backside, que valeu 7,70. 

Medina não competia desde a contusão no joelho sofrida em junho, durante o Oi Rio Pro nas mesmas ondas de Itaúna. Com a combinação dos resultados no sábado, ele agora vai fazer um duelo de CT com Miguel Pupo nas oitavas de final do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil neste domingo. Os dois entraram juntos na elite mundial em 2011, já se enfrentaram em 11 baterias em etapas do CT e o placar está 10 a 1 para Gabriel Medina. A única vitória de Miguel Pupo foi na primeira fase do Pipeline Masters de 2017.

Gabriel Medina venceu sua bateria e vai enfrentar o amigo Miguel Pupo (Crédito da Imagem: @WSL / Daniel Smorigo)

“As ondas estavam muito difíceis na bateria, ventava muito, mas tentei aproveitar ao máximo as ondas que surfei e fiquei feliz pela vitória”, disse Gabriel Medina“Agora vou enfrentar o Miguel (Pupo), mas só quero fazer um bom show e espero que dê tudo certo. Estou neste evento tentando passar o máximo de baterias, para recuperar meu ritmo de competição. Na verdade, é uma preparação para o Havaí (onde o CT 2023 será iniciado no final de janeiro)”.

A vitória de Gabriel Medina foi a terceira e última do Brasil na terceira fase do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. Depois, o carioca Lucas Silveira passou em segundo lugar na bateria vencida pelo marroquino Ramzi Boukhiam, assim como o cearense Cauã Costa, estreante em etapas do Challenger Series. O atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL Latin America, barrou o australiano Dylan Moffat, que estava em sexto no G-10, na disputa vencida pelo líder do ranking, Leonardo Fioravanti, da Itália.

E o sábado terminou com o peruano Lucca Mesinas conquistando a última vaga para as oitavas de final, no confronto vencido pelo francês Joan Duru. Lucca já subiu da 19.a para a 14.a posição no ranking com a classificação, aumentando para 7 o número de países que seguem na briga do título da penúltima etapa do Challenger Series 2022. A maioria é do Brasil com 6 surfistas, contra 3 da Austrália, 3 da França, 1 da Itália, 1 de Marrocos, 1 do Havaí e 1 do Peru.

Lucca Mesinas conquistou a última vaga para as oitavas de final no sábado (Crédito da Foto: WSL / Thiago Diz)

DUAS BRASILEIRAS - Assim como na sexta-feira, a competição feminina abriu o sábado de praia cheia, com duas brasileiras passando para as oitavas de final do Challenger Series de Saquarema, Summer Macedo e Laura Raupp. A catarinense Laura avançou na primeira bateria do dia, com a onda surfada nos minutos finais, que valeu nota 6,03. Com ela, superou a japonesa Sara Wakita por 10,60 a 8,60 pontos e a havaiana Keala Tomoda-Bannert ficou em último. A americana Kirra Pinkerton passou em primeiro lugar com 12,66 pontos.

“Estou muito feliz, porque vim pra cá querendo me classificar para Haleiwa (última etapa do Challenger Series no Havaí), que é uma onda que eu gosto muito”, disse Laura Raupp, que já subiu de 50 para 33 no ranking. “Eu tava mal no ranking, agora já consegui chegar nas oitavas de final, então estou muito, muito feliz. Esse já é o meu melhor resultado no Challenger Series e aqui em Saquarema, um lugar especial pra mim, então bora com tudo pra amanhã”.

Laura Raupp chegando pela primeira vez nas oitavas de final do Challenger Series (Crédito da Foto: WSL / Daniel Smorigo)

Na bateria seguinte, a peruana Sol Aguirre ficou em último contra duas surfistas que estão na briga direta por vagas para o WSL Championship Tour 2023. O favoritismo foi confirmado, com a australiana Bronte Macaulay e a portuguesa Teresa Bonvalot, avançando para as oitavas de final. Com a classificação, a portuguesa entrou no grupo das top-5 do ranking do Challenger Series, que serão indicadas para o CT. Teresa tirou a australiana Nikki Van Dijk da lista e Bronte Macaulay subiu para a sétima posição que ela ocupava.  

“Esta foi uma das baterias mais difíceis pra mim. Tem ondas incríveis, mas as condições do mar estão difíceis para achar as boas”, disse Teresa Bonvalot“Nos últimos 10 minutos, me concentrei em fazer uma manobra grande e fiquei procurando uma oportunidade, continuei buscando até encontrar aquela onda no final. As condições mudam bastante aqui. Da praia você vê uma coisa e na água é outra, totalmente diferente. Mas, estou superfeliz por ter vencido essa bateria e pela estratégia que usei e deu certo”.

Teresa Bonvalot entrou no G-5 do Chalenger Series com a classificação (Crédito da Foto: WSL / Daniel Smorigo)

ÚNICA VAGA NO G-5 - O quinto lugar no ranking que Teresa Bonvalot assumiu com a passagem para as oitavas de final, é a única posição que está em jogo no Brasil. A principal ameaça é a australiana Bronte Macaulay e as duas poderão se enfrentar nas quartas de final. Isso acontecerá se a australiana vencer o primeiro duelo das oitavas de final com a americana Kirra Pinkerton e a portuguesa superar a brasileira Laura Raupp no confronto seguinte.

Quem está mais tranquila é a havaiana Bettylou Sakura Johnson, que fez os recordes femininos do sábado - nota 7,50 e 14,33 pontos - e não perde mais o quarto lugar no ranking. Ela pode até assumir a liderança e já confirmar seu nome no CT 2023 no Brasil. Isso se chegar na grande final do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. Sua próxima adversária é a japonesa Amuro Tsuzuki, que passou em segundo na única vitória brasileira no sábado. 

A namorada do saquaremense João ChiancaSummer Macedo, achou boas ondas para mostrar o seu surfe nas direitas de Itaúna. A melhor valeu 7,17, que garantiu o primeiro lugar na bateria com mais duas brasileiras. Só que a japonesa Amuro Tsuzuki acabou ganhando a briga pela segunda vaga para as oitavas de final, eliminando a carioca Mariana Areno e a atual campeã sul-americana da WSL Latin America e irmã do tricampeão mundial, Sophia Medina.

Summer Macedo conquistando a única vitória brasileira na segunda fase feminina (Crédito da Foto: WSL / Thiago Diz)

“Eu só encontrei uma onda boa na bateria, então tive muita sorte. Mas, me disseram aqui que deixei passar umas cinco ondas boas, então espero aproveitar melhor da próxima vez”, disse Summer Macedo, que respondeu se tinha recebido conselhos do namorado, João Chianca“Hoje não (risos), porque ele apareceu uns 10 minutos antes da minha bateria. Mas, a gente sabia que era só ter atenção nos detalhes e já fico bem confortável aqui. Já surfei bastante aqui, então estou muito feliz por ter passado para a próxima fase”.

DEZ PAÍSES - Com a classificação para as oitavas de final do Corona Saquarema ProSummer Macedo subiu da 27.a para a 20.a posição no ranking e vai enfrentar a 12.a colocada, Sarah Baum, da África do Sul. Summer Laura Raupp são as únicas sul-americanas que se classificaram para o domingo. Surfistas de 10 países ainda seguem na disputa do título na Praia de Itaúna. A maioria agora é dos Estados Unidos, com três competidoras que venceram suas baterias no sábado. Assim como o Brasil, a Austrália, Portugal e Japão, também tem duas concorrentes e com uma a França, África do Sul, Costa Rica, Havaí e Tahiti.

Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil na Praia de Itaúna é realizado com patrocínio da Corona, Banco do Brasil, BB Asset, Prefeitura Municipal de Saquarema, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, TikTok, 51 Ice e NewON. O evento está sendo transmitido ao vivo em português e em inglês pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo Canal da WSL no YouTube e no Brasil pelos canais SporTV.

CORONA SAQUAREMA PRO APRESENTADO PELO BANCO DO BRASIL:

PRÓXIMAS BATERIAS NA PRAIA DE ITAÚNA EM SAQUAREMA:

OITAVAS DE FINAL - 9.o lugar com US$ 2.750 e 3.320 pontos:
1.a: Bronte Macaulay (AUS) x Kirra Pinkerton (EUA)
2.a: Teresa Bonvalot (PRT) x Laura Raupp (BRA)
3.a: Vahine Fierro (TAH) x Minami Nonaka (JPN)
4.a: Sawyer Lindblad (EUA) x Tessa Thyssen (FRA)
5.a: Sarah Baum (AFR) x Summer Macedo (BRA)
6.a: Bettylou Sakura Johnson (HAV) x Amuro Tsuzuki (JPN)
7.a: Alyssa Spencer (EUA) x Francisca Veselko (PRT)
8.a: Leilani McGonagle (CRI) x Keely Andrew (AUS)

OITAVAS DE FINAL - 9.o lugar com US$ 2.750 e 3.320 pontos:
1.a: Kalani Ball (AUS) x Douglas Silva (BRA)
2.a: João Chianca (BRA) x Timothe Bisso (FRA)
3.a: Maxime Huscenot (FRA) x Joel Vaughan (AUS)
4.a: Gabriel Medina (BRA) x Miguel Pupo (BRA)
5.a: Ian Gentil (HAV) x Lucas Silveira (BRA)
6.a: Morgan Cibilic (AUS) x Ramzi Boukhiam (MAR)
7.a: Leonardo Fioravanti (ITA) x Lucca Mesinas (PER)
8.a: Joan Duru (FRA) x Cauã Costa (BRA)

RESULTADOS DO SÁBADO NA PRAIA DE ITAÚNA:

SEGUNDA FASE FEMININA - 1.a e 2.a=Oitavas de Final:
-----3.a=17.o lugar (US$ 2.000 e 1.900 pts) e 4.a=25.o lugar (US$ 1.500 e 1.700 pts)
1.a: 1-Kirra Pinkerton (EUA), 2-Laura Raupp (BRA), 3-Sara Wakita (JPN), 4-Keala Tomoda-Bannert (HAV)
2.a: 1-Teresa Bonvalot (PRT), 2-Bronte Macaulay (AUS), 3-Shino Matsuda (JPN), 4-Sol Aguirre (PER) 
3.a: 1-Vahine Fierro (TAH), 2-Tessa Thyssen (FRA), 3-Rachel Presti (ALE), 4-Anne dos Santos (BRA)
4.a: 1-Sawyer Lindblad (EUA), 2-Minami Nonaka (JPN), 3-Yolanda Hopkins (PRT), 4-Pauline Ado (FRA)
5.a: 1-Summer Macedo (BRA), 2-Amuro Tsuzuki (JPN), 3-Sophia Medina (BRA), 4-Mariana Areno (BRA)
6.a: 1-Bettylou Sakura Johnson (HAV), 2-Sarah Baum (AFR), 3-Daniellas Rosas (PER), 4-Zoe McDougall (HAV)
7.a: 1-Alyssa Spencer (EUA), 2-Keely Andrew (AUS), 3-Chelsea Tuach (BRB), 4-Carolina Mendes (PRT)
8.a: 1-Leilani McGonagle (CRI), 2-Francisca Veselko (PRT), 3-Nadia Erostarbe (ESP), 4-Havanna Cabrero (PRI)

TERCEIRA FASE MASCULINA - 1.o e 2.o=Oitavas de Final:
--------3.o=17.o lugar com US$ 2.000 e 1.900 pontos
1.a: 1-Douglas Silva (BRA)=10.24, 2-Timothe Bisso (FRA)=10.00, 3-Justin Becret (FRA)=9.63
2.a: 1-João Chianca (BRA)=15.60, 2-Kalani Ball (AUS)=13.13, 3-Liam O´Brien (AUS)=13.04
3.a: 1-Joel Vaughan (AUS)=12.43, 2-Miguel Pupo (BRA)=9.83, 3-Jett Schilling (EUA)=9.03
4.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=14.13, 2-Maxime Huscenot (FRA)=11.93, 3-Kei Kobayashi (EUA)=11.56
5.a: 1-Ian Gentil (HAV)=12.24, 2-Morgan Cibilic (AUS)=11.90, 3-Gabriel André (BRA)=7.53
6.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR)=14.73, 2-Lucas Silveira (BRA)=11.17, 3-Edgard Groggia (BRA)=9.40
7.a: 1-Leonardo Fioravanti (ITA)=13.43, 2-Cauã Costa (BRA)=11.64, 3-Dylan Moffat (AUS)=11.43
8.a: 1-Joan Duru (FRA)=13.70, 2-Lucca Mesinas (PER)=12.23, 3-Shun Murakami (JPN)=6.14

João Carvalho
WSL Latin America Media Manager

Gabriel Gontijo
WSL Latin America Communications

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: A World Surf League (WSL) promove as principais competições de surfe no planeta, coroando os campeões mundiais desde 1976, com os melhores surfistas do mundo se apresentando nas melhores ondas do mundo. A WSL é composta por uma divisão de Circuitos e Competições, que supervisiona e opera mais de 180 eventos globais a cada ano; pela WSL WaveCo, que produz as melhores ondas artificiais de alta performance; e pela WSL Studios, com produções independentes de conteúdos e projetos com e sem roteiros.

Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com.