Banner 728x90

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Punta Rocas Open Pro no Peru fecha o calendário de eventos da WSL Latin America em 2022

PUNTA ROCAS, Punta Negra, Lima / Peru (Quinta-feira, 10 de novembro de 2022) - O Punta Rocas Open Pro vai fechar o calendário de eventos da WSL Latin America em 2022 no Peru. A competição será disputada nas ondas de Punta Rocas, consideradas como uma das mais constantes do mundo, em frente ao Centro de Alto Rendimento (CAR), inaugurado nos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019. O prazo para realizar as etapas masculinas e femininas do QS 1000, Pro Junior e Longboard, começa na terça-feira (dia 15) e vai até o domingo (20). O evento será transmitido ao vivo do Peru pelo WorldSurfLeague.com

“Lima é a única capital do continente à beira-mar, o que gera uma ligação muito especial com a Natureza. É por isso que trazemos ao nosso país, um evento de nível mundial, um festival de surfe, esporte que nos dá muitas alegrias”, destaca Sebastián Rubio, diretor geral do Punta Rocas Open Pro.

“Punta Rocas tem uma onda muito constante, que pode chegar até 3 metros de altura. É uma onda potente, que vai oferecer o melhor show de surfe para todos os fãs”, disse Gabriel Villáran, um grande representante do surfe peruano, que vai atuar como Diretor de Prova no Punta Rocas Open Pro.

Nas ondas de Punta Rocas, serão decididos os títulos sul-americanos da WSL Latin America na categoria Pro Junior Sub-20. O campeão e a campeã da temporada 2021/2022 e quem ficar em segundo lugar nos rankings masculino e feminino, vão representar a América do Sul no Mundial Pro Junior da World Surf League, que será disputado em janeiro na Califórnia, Estados Unidos.

Sol Aguirre busca um inédito tetracampeonato sul-americano Pro Junior (Crédito da Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports)

A última competição da WSL no Peru, aconteceu em 2019 em Mancora e também definiu os campeões sul-americanos do Pro Junior. Naquele ano, o peruano Raul Rios quebrou uma hegemonia brasileira na história do título masculino. Agora, quem pode fazer história é a peruana Sol Aguirre, se conseguir um inédito tetracampeonato no Punta Rocas Open Pro. No ano passado, ela igualou o tri da brasileira Diana Cristina em 2008, 2009 e 2010. 

Sol Aguirre foi bicampeã em 2017 e 2018 e conquistou seu terceiro título no ano passado. Ela lidera o ranking 2021/2022, com duas vitórias nas três etapas disputadas, em Saquarema no Brasil e em Iquique no Chile. Suas principais concorrentes são as brasileiras Tainá Hinckel bicampeã sul-americana em 2016 e 2019 e Laura Raupp, que venceu a última etapa, em Saquarema. 

No ranking masculino, os brasileiros dominam com Cauã Costa na frente, Diego Aguiar em segundo lugar e Heitor Mueller em terceiro. Cauã ganhou o título sul-americano de 2021 e assumiu o primeiro lugar com o bicampeonato no Saquarema Surf Festival. Também estão na briga direta pelas duas vagas para o Mundial Pro Junior, Ryan Kainalo em quarto no ranking e Daniel Templar em quinto.

Miguel Tudela conquistando sua quarta vitória em 2022 em Saquarema (Crédito da Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports)

Além da decisão dos títulos sul-americanos da categoria Pro Junior, o Punta Rocas Open Pro vai promover etapas da temporada 2022/2023 da WSL Latin America do Qualifying Series e do Longboard. A grande atração do evento é o peruano Miguel Tudela, que lidera o ranking principal com uma incrível invencibilidade nas quatro etapas que disputou. 

Miguel já garantiu uma das dez vagas para o Challenger Series 2023. E o ranking feminino, que vai classificar 5 surfistas para o circuito de acesso para o World Surf League Championship Tour, também é liderado pelo Peru. Com a vitória em Saquarema, Daniella Rosas tirou o primeiro lugar da Sol Aguirre.

No Longboard, o ranking da temporada 2022/2023 foi iniciado no Saquarema Surf Festival e o Brasil largou na frente, com as vitórias de Rodrigo Sphaier e Chloé Calmon. Os peruanos Sebastian Cardenas Aguirre e Maria Fernanda Reyes, ficaram em segundo lugar nas finais e agora terão a chance de competir em casa no Punta Rocas Open Pro.

Chloé Calmon foi campeã sul-americana em 2021 e lidera o ranking 2022 (Crédito da Foto: Daniel Smorigo / 213 Sports)

RANKINGS SUL-AMERICANOS DA WSL LATIN AMERICA:

TOP-10 DO QS REGIONAL 2022/2023 - 9 etapas:
1.o: Miguel Tudela (PER) - 14.000 pontos
2.o: Ian Gouveia (BRA) - 6.248
3.o: Rafael Teixeira (BRA) - 5.763
4.o: Ryan Kainalo (BRA) - 5.507
5.o: José Gundesen (ARG) - 5.380
6.o: João Chianca (BRA) - 4.900
7.o: Heitor Mueller (BRA) - 4.727
8.o: Guillermo Satt (CHL) - 4.690
9.o: Weslley Dantas (BRA) - 4.673
10.o: Edgard Groggia (BRA) - 4.342

TOP-10 DO QS REGIONAL 2022/2023 - 8 etapas:
1.a: Daniella Rosas (PER) - 7.600 pontos
2.a: Dominic Barona (EQU) - 6.167
3.a: Sol Aguirre (PER) - 5.925
4.a: Isabelle Nalu (BRA) - 5.407
5.a: Melanie Giunta (PER) - 4.855
6.a: Silvana Lima (BRA) - 4.371
7.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) - 4.360
8.a: Sophia Medina (BRA) - 4.037
9.a: Genesis Garcia (EQU) - 3.713
10.a: Summer Macedo (BRA) - 3.632 

TOP-5 DO PRO JUNIOR 2021/2022 - 3 etapas:
1.o: Cauã Costa (BRA) - 2.295 pontos
2.o: Diego Aguiar (BRA) - 2.050
3.o: Heitor Mueller (BRA) - 1.945
4.o: Ryan Kainalo (BRA) - 1.800
5.o: Daniel Templar (BRA) - 1.500

TOP-5 DO PRO JUNIOR 2021/2022 - 3 etapas:
1.a: Sol Aguirre (PER) - 2.650 pontos
2.a: Tainá Hinckel (BRA) - 2.100
3.a: Laura Raupp (BRA) - 1.800
4.a: Naire Marquez (BRA) - 1.500
5.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) - 1.350

TOP-5 DO LONGBOARD 2022/2023 - 1 etapa:
1.o: Rodrigo Sphaier (BRA) - 1.000 pontos
2.o: Sebastian Cardenas Aguirre (PER) - 800
3.o: Jeferson Silva (BRA) - 650
4.o: Piccolo Clemente (PER) - 500
4.o: Carlos Bahia (BRA) - 500

TOP-5 DO LONGBOARD 2022/2023 - 1 etapa:
1.a: Chloé Calmon (BRA) - 1.000 pontos
2.a: Maria Fernanda Reyes (PER) - 800
3.a: Atalanta Batista (BRA) - 650
4.a: Luana Soares (BRA) - 600
5.a: Evelin Neves (BRA) - 500
5.a: Rayane Amaral (BRA) - 500

João Carvalho
WSL Latin America Media Manager

Gabriel Gontijo
WSL Latin America Communications

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: A World Surf League (WSL) promove as principais competições de surfe no planeta, coroando os campeões mundiais desde 1976, com os melhores surfistas do mundo se apresentando nas melhores ondas do mundo. A WSL é composta por uma divisão de Circuitos e Competições, que supervisiona e opera mais de 180 eventos globais a cada ano; pela WSL WaveCo, que produz as melhores ondas artificiais de alta performance; e pela WSL Studios, com produções independentes de conteúdos e projetos com e sem roteiros.

Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com.