Banner 728x90

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Títulos do Corona Saquarema Pro serão decididos nesta segunda-feira

PRAIA DE ITAÚNA, Saquarema / RJ (Domingo, 6 de novembro de 2022) - O tricampeão mundial Gabriel Medina e os namorados, João Chianca e Summer Macedo, são o Brasil no último dia do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. Eles passaram pelas oitavas de final no show de aéreos do domingo na Capital Nacional do Surf. O mais incrível foi o “full rotation” muito alto do Gabriel Medina, que ganhou a maior nota - 9,33 - da semana na Praia de Itaúna. Esta penúltima etapa do World Surf League (WSL) pode terminar na segunda-feira. A primeira chamada para as quartas de final, foi marcada para as 7h00 e o último dia será transmitido ao vivo pelos canais SporTV e WorldSurfLeague.com
 
Summer Macedo vai ser a primeira a disputar classificação para as semifinais, com a japonesa Amuro Tsuzuki no terceiro confronto do dia. Depois, tem João Chianca tentando vaga no G-10, contra o australiano Kalani Ball na abertura das quartas de final e Gabriel Medina entrando na segunda bateria com o francês Maxime Huscenot. O tricampeão mundial venceu o duelo do CT com Miguel Pupo nas oitavas de final, que atraiu a atenção da torcida que encheu a praia no domingo ensolarado e de boas ondas em Itaúna.

Eles cresceram juntos surfando nas ondas da Praia de Maresias, em São Sebastião (SP), entraram na elite mundial no mesmo ano de 2011 e já se enfrentaram em 11 baterias em etapas do CT. O placar estava 10 a 1 para Medina Pupo largou na frente da bateria, manobrando forte numa esquerda que valeu 7,33. Mas, o tricampeão mundial respondeu com a maior nota do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil.

João Chianca competindo em casa na Praia de Itaúna (Crédito da Foto: WSL / Thiago Diz)

Ele acelerou numa esquerda, até achar a rampa para decolar muito alto, fazer o giro completo no ar e aterrissar quase se desequilibrando. Mas, não caiu e pediu nota 10 quando ficou em pé. Os juízes deram 9,33, a maior da semana nas ondas de Itaúna. Diferente dos outros dias, as esquerdas amanheceram melhores e decidiram as primeiras baterias. Medina ainda arriscou outros aéreos, na maioria das ondas que surfou. Miguel Pupo também acertou um, mas o tricampeão mundial venceu com o maior placar do dia, 15,40 a 13,23 pontos.  

“Foi uma bateria bem divertida. Apareceu aquela rampa enorme e, como estou treinando bastante, estava confiante para arriscar um aéreo tão alto. Fiquei bem feliz por acertar”, disse Gabriel Medina“Me sinto 100% seguro (da contusão no joelho) e espero ter mais oportunidades como essa. O Miguel (Pupo) é como um irmão pra mim, a gente surfa juntos desde sempre, então eu ficaria feliz de qualquer forma, independente de quem vencesse. Infelizmente, alguém ia ser eliminado, mas desejo tudo de bom pro Miggy”.

Antes do duelo verde-amarelo de dois titulares da seleção brasileira do CT 2023, dois brasileiros já tinham competido nas baterias que abriram o domingo. O jovem pernambucano Douglas Silva já achou as rampas pra voar na primeira do dia, mas só conseguiu uma nota boa, 6,67. O australiano Kalani Ball também arriscou os aéreos nas esquerdas e somou 6,30 com 6,00, para vencer por 12,30 a 7,54 pontos. Kalani será o adversário de João Chianca na primeira quarta de final do Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil.

Douglas Silva arriscou os aéreos, mas foi barrado pelo australiano Kalani Ball (Crédito da Foto: WSL Daniel Smorigo)

O surfista de Saquarema já tinha passado três baterias só surfando as direitas de Itaúna. No domingo, as esquerdas estavam melhores, então Chumbinho, como João é conhecido, teve que mostrar a força do seu backside. O francês Timothe Bisso estava mais à vontade e conseguiu uma nota 7,43 na segunda onda. O brasileiro só assumiu a liderança, quando usou a combinação de duas manobras potentes de backside, em duas esquerdas boas que valeram 6,67 e 7,23. Ainda achou uma direita, para usar seu frontside agressivo e ganhar sua maior nota, 7,67. Com ela, venceu por 14,90 a 12,30 pontos.

“O dia hoje acordou diferente, com as esquerdas aparecendo muito mais do que nos outros dias, bem melhores do que as direitas”, destacou João Chianca“A gente quer continuar no mesmo lugar, seguir a mesma rotina, mas meu coração me disse que eu ia precisar sair da minha zona de conforto. Eu ia precisar enfrentar o Timothe (Bisso) lá nas esquerdas, onde pra mim, ele era o favorito na bateria. Estava com o surfe até mais superior do que o meu, pois eu não tava treinando nas esquerdas. Foi o tipo de bateria que a gente realmente tem que ir com muita fé, confiando no trabalho que tem sido feito, então fico feliz que deu certo”.

João Chianca pode confirmar vaga no CT 2023 na sua casa em Saquarema (Crédito da Imagem: @WSL / Daniel Smorigo)

VAGA NO G-10 - Com a classificação para as quartas de final, João Chianca chegou a entrar no grupo dos 10 primeiros do ranking do Challenger Series, que completarão a elite dos top-34 para o World Surf League Championship Tour 2023. Ele ultrapassou o marroquino Ramzi Boukhiam e o cearense Michael Rodrigues, que dividiam a décima posição no ranking. Só que Ramzi também venceu sua bateria depois, retornou ao G-10 e jogou o australiano Morgan Cibilic, que ele derrotou no domingo, para o décimo lugar. Chumbinho caiu então para 11.o, mas entra no G-10 se derrotar Kalani Ball nas quartas de final, tirando Morgan Cibilic da lista.

“Eu nem penso muito lá na frente, só em bateria por bateria e estou muito feliz em estar de volta ao Brasil. Eu gosto muito daqui, to na váibe, então vamo que vamo“, disse Ramzi Boukhiam“A última vez que eu vim pra Saquarema foi em 2013. O Mitch Coleborn ganhou e meu amigo, Marc Lacomare, ficou em segundo. Tinha altas ondas e aqui as ondas são muito pesadas. Eu também sou mais pesado do que os outros caras, então gosto desse tipo de onda. É um mar bem difícil, mas quando você acha a boa, dá pra rasgar e manobrar forte”.

Ramzi Boukhiam entrou no G-10 com a classificação para as quartas de final (Crédito da Foto: WSL / Thiago Diz)

VAGAS NO CT 2023 - O marroquino Ramzi Boukhiam e o brasileiro João Chianca, são dois dos quatro surfistas que podem já confirmar suas vagas no CT 2023 agora na Praia de Itaúna, antes da última etapa do Challenger Series, em Haleiwa Beach, no Havaí.  Ambos garantem seus nomes se vencerem o Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil. Os outros são o havaiano Ian Gentil e o francês Maxime Huscenot, que precisam chegar na grande final, para atingir a pontuação necessária para não sair do G-10.

O primeiro desafio para João Chianca na segunda-feira, é o australiano Kalani Ball, na primeira quarta de final. Na segunda, Maxime Huscenot terá que encarar o tricampeão mundial Gabriel Medina. A terceira será entre dois surfistas do G-10, Ian Gentil e Ramzi Boukhiam. Ian assumiu a quarta posição no ranking, com a vitória sobre o carioca Lucas Silveira no domingo. Depois, tem o líder Leonardo Fioravanti, italiano que derrotou o peruano Lucca Mesinas, disputando a última vaga para as semifinais com o francês Joan Duru, que barrou o cearense Cauã Costa.

Molly Picklum e Caitlin Simmers confirmadas no CT 2023 com os resultados do domingo em Saquarema

GARANTIDAS NO CT - Com a combinação dos resultados do domingo em Saquarema, a World Surf League já oficializou duas classificações para o CT 2023, da australiana Macy Callaghan e da norte-americana Caitlin Simmers. Elas lideram o ranking e não no vieram ao Brasil. A havaiana Bettylou Sakura Johnson, era a única que ainda poderia garantir seu nome no Corona Saquarema Pro. Mas, ela foi surpreendida pela japonesa Amuro Tsuzuki, adversária da brasileira Summer Macedo nas quartas de final.

Summer ganhou uma batalha travada onda a onda, com a sul-africana Sarah Baum. As oitavas de final femininas foram iniciadas quando o vento apertou na Praia de Itaúna, agindo negativamente na formação das ondas. As condições ficaram bem mais difíceis para competir, mas as direitas melhoraram. Foi onde a brasileira conseguiu notas 5,57 e 4,80, com suas manobras de frontside em duas ondas seguidas. A vitória foi por 10,37 a 9,80 pontos.  

Summer Macedo garantindo o Brasil nas quartas de final em Saquarema (Crédito da Foto: WSL / Daniel Smorigo)

“Eu recebi um conselho para ficar conversando comigo mesma na água, com pensamentos positivos para me convencer de que eu ia encontrar uma onda boa. Mas, as condições estão bem complicadas. Não sabia se estava no lugar certo do mar, enfim, estava superdifícil”, disse Summer Macedo“Eu agradeço muito o grande apoio de todos que recebo aqui. Isso pra mim é tudo. Sentir esse suporte na praia, todo esse apoio e amor durante uma competição, faz muita diferença Agradeço bastante a todos que torcem por mim”.

QUARTAS DE FINAL - Summer Macedo conquistou a única vitória do Brasil nas oitavas de final femininas, que aconteceram depois das masculinas no domingo. A jovem catarinense Laura Raupp, de 16 anos de idade, perdeu para a portuguesa Teresa Bonvalot, que terá um confronto direto por vaga no G-5 na segunda-feira, com a australiana Bronte Macaulay. Elas se enfrentarão na primeira quarta de final e a vencedora ficará na lista das 5 surfistas, que vão completar a elite das top-17 do CT em 2023. 

Portuguesa Teresa Bonvalot vai defender vaga no G-5 contra Bronte Macaulay (Crédito da Foto: WSL / Daniel Smorigo)

A segunda bateria será entre duas surfistas que dividem a 10.a posição no ranking, a francesa Vahine Fierro e a norte-americana Sawyer Lindblad. A terceira é a da brasileira Summer Macedo, com a japonesa Amuro Tsuzuki. E a última vaga para as semifinais, será disputada pela norte-americana Alyssa Spencer e a australiana Keely Andrew. Após essa bateria, começa as quartas de final masculinas, depois vêm as semifinais das duas categorias e as decisões dos títulos desta penúltima etapa do WSL Challenger Series 2022.

Corona Saquarema Pro apresentado pelo Banco do Brasil na Praia de Itaúna é realizado com patrocínio da Corona, Banco do Brasil, BB Asset, Prefeitura Municipal de Saquarema, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, TikTok, 51 Ice e NewON. O evento está sendo transmitido ao vivo em português e em inglês pelo WorldSurfLeague.com e Aplicativo Canal da WSL no YouTube e no Brasil pelos canais SporTV.

CORONA SAQUAREMA PRO APRESENTADO PELO BANCO DO BRASIL:

BATERIAS QUE ABREM A SEGUNDA-FEIRA NA PRAIA DE ITAÚNA:

QUARTAS DE FINAL - 5.o lugar com US$ 3.500 e 4.745 pontos:
1.a: Teresa Bonvalot (PRT) x Bronte Macaulay (AUS)
2.a: Vahine Fierro (FRA) x Sawyer Lindblad (EUA)
3.a: Summer Macedo (BRA) x Amuro Tsuzuki (JPN)
4.a: Alyssa Spencer (EUA) x Keely Andrew (AUS)

QUARTAS DE FINAL - 5.o lugar com US$ 3.500 e 4.745 pontos:
1.a: João Chianca (BRA) x Kalani Ball (AUS)
2.a: Gabriel Medina (BRA) x Maxime Huscenot (FRA)
3.a: Ian Gentil (HAV) x Ramzi Boukhiam (MAR)
4.a: Leonardo Fioravanti (ITA) x Joan Duru (FRA)

RESULTADOS DO DOMINGO NA PRAIA DE ITAÚNA:

OITAVAS DE FINAL - 9.o lugar com US$ 2.750 e 3.320 pontos:
1.a: Kalani Ball (AUS) 12,30 x 6,97 Douglas Silva (BRA)
2.a: João Chianca (BRA) 14,90 x 12,30 Timothe Bisso (FRA)
3.a: Maxime Huscenot (FRA) 12,67 x 10,23 Joel Vaughan (AUS)
4.a: Gabriel Medina (BRA) 15,33 x 13,23 Miguel Pupo (BRA)
5.a: Ian Gentil (HAV) 12,60 x 11,50 Lucas Silveira (BRA)
6.a: Ramzi Boukhiam (MAR) 12,50 x 11,70 Morgan Cibilic (AUS)
7.a: Leonardo Fioravanti (ITA) 15,16 x 13,13 Lucca Mesinas (PER)
8.a: Joan Duru (FRA) 12,50 x 7,70 Cauã Costa (BRA)

OITAVAS DE FINAL - 9.o lugar com US$ 2.750 e 3.320 pontos:
1.a: Bronte Macaulay (AUS) 13,50 x 11,03 Kirra Pinkerton (EUA)
2.a: Teresa Bonvalot (PRT) 11,60 x 6,17 Laura Raupp (BRA)
3.a: Vahine Fierro (FRA) 13,33 x 8,33 Minami Nonaka (JPN)
4.a: Sawyer Lindblad (EUA) 13,43 x 11,67 Tessa Thyssen (FRA)
5.a: Summer Macedo (BRA) 10,37 x 9,80 Sarah Baum (AFR)
6.a: Amuro Tsuzuki (JPN) 12,70 x 11,53 Bettylou Sakura Johnson (HAV)
7.a: Alyssa Spencer (EUA) 13,17 x 7,54 Francisca Veselko (PRT)
8.a: Keely Andrew (AUS) 11,43 x 7,97 Leilani McGonagle (CRI)

João Carvalho
WSL Latin America Media Manager

Gabriel Gontijo
WSL Latin America Communications

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE: A World Surf League (WSL) promove as principais competições de surfe no planeta, coroando os campeões mundiais desde 1976, com os melhores surfistas do mundo se apresentando nas melhores ondas do mundo. A WSL é composta por uma divisão de Circuitos e Competições, que supervisiona e opera mais de 180 eventos globais a cada ano; pela WSL WaveCo, que produz as melhores ondas artificiais de alta performance; e pela WSL Studios, com produções independentes de conteúdos e projetos com e sem roteiros.

Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com.